Suplementação na atividade física

suplementacaoBenefício no desempenho por meio da nutrição muscular

A suplementação é uma opção para quem quer aumentar o desempenho aeróbico e ganhar mais massa muscular. Essa tecnologia foi inicialmente desenvolvida pela ciência para atletas com alto rendimento físico, que praticam mais de seis horas de atividades esportivas por dia, mas está caindo no gosto dos praticantes comuns, se tornando popular em academias e entre outras modalidades.

Quando realizamos exercícios por um tempo prolongado, é comum os músculos apresentarem ardência ou uma leve vibração. Essas reações são um sinal de que a reserva de energia do corpo está baixa e, com isso, o desempenho fica reduzido. O esforço intenso e a baixa oxigenação do corpo promovem a liberação do ácido lático, responsável pelas dores musculares no dia seguinte.

“Os aminoácidos são cruciais para mantermos a energia e nossos músculos consistem principalmente de proteínas. Ao todo, existem 20 cadeias de aminoácidos, mas somente nove são essenciais e não podem ser sintetizados pelo nosso organismo. Assim, devem ser obtidos através da nossa alimentação diária. Quando realizamos uma prática esportiva, exigimos muito da nossa reserva de aminoácidos, tanto que às vezes não é possível substituir esse gasto apenas com alimentação. Por isso, os suplementos acabam sendo indicados, para ajudar o organismo a repor mais rapidamente as proteínas perdidas durante a atividade física”, explica a farmacêutica da Pharma Nostra, Camila Estopa.

De acordo com Diego Tareszkiewicz, triatleta profissional e educador físico da academia Fit Premium, a energia necessária para os esportes pode ser obtida por meio de uma alimentação rica em nutrientes, vitaminas e proteínas. “É fundamental que o praticante consulte um nutricionista antes de realizar as atividades, para saber se ele consegue suprir a energia gasta no exercício somente pela alimentação, ou se é necessária a suplementação. Só um profissional poderá indicar qual a dose necessária que o corpo está precisando para realizar o esporte”, salienta.

suplementosAntonio Pedro Tavares, nutricionista clínico e esportivo, e diretor científico da Nutricore, explica que muitas pessoas optam por comprar a suplementação sem adequá-la ao plano da dieta como um todo. “Esse erro é comum, e muitas vezes gera frustração com relação aos resultados esperados, além de poder ser um risco à saúde. Existem substâncias estimulantes disponíveis no mercado que podem gerar efeitos como insônia, falta de concentração, dor de cabeça, tontura, náuseas e enjoo. Por isso, enfatizamos a necessidade de adequação de dosagens e indicação e acompanhamento de um nutricionista esportivo.”

O nutricionista indica que a dieta ideal para os praticantes de atividades físicas está relacionada a uma pequena elevação da ingestão proteica, devido ao desgaste da musculatura e ao ganho de massa muscular. “Porém, nada na dieta de um praticante de atividade física pode ser generalizado”, destaca.

Diego Tareszkiewicz ressalta que, além de um aumento no consumo de proteínas, vale a pena destacar o consumo de carboidratos em casos de exercícios de longa duração e que, em casos de maior exigência da capacidade muscular, uma alimentação rica em creatina é a ideal. “Vale lembrar que o metabolismo dos homens requer mais proteínas que o das mulheres. Sua massa muscular é de 20% a 25% menor que a dos homens, e têm um metabolismo mais lento. Por esses motivos, o corpo das mulheres demora um tempo maior para realizar a síntese de substâncias”, destaca Diego.

Para a utilização saudável da suplementação, é preciso a orientação de um profissional da área de saúde e uma alimentação adequada. Uma dieta equilibrada é essencial para a prática de qualquer esporte. É bom lembrar que manter o corpo hidratado é um fator que favorece o desempenho físico. O consumo de isotônicos durante os exercícios prolongados ajuda a repor os sais minerais, promovendo a hidratação e evitando cãibras.

Fonte: www.pharmanostra.com.br